Sábado, 24 de Agosto de 2019
(67) 9 8425-6032

Ronaldo para jornal ingles
"Ninguém me defendia quando me chamavam de gordo"
Fenômeno afirma a Financial Times que fez vasectomia, só que "congelou esperma suficiente para ter uma equipe de futebol" se a sua mulher quiser
14 MAI 2019
Por Globo Esporte
12:03

Foto:
Aliviado com a permanência na primeira divisão do Campeonato Espanhol do Valladolid, clube que comprou, o ex-jogador Ronaldo teve uma entrevista publicada nesta terça-feira pelo jornal inglês Financial Times. Entre declarações sobre sua vida como homem de negócios e memórias de quando jogava, como da convulsão antes da final da Copa de 1998 e de como não dormiu na véspera da conquista do Mundial em 2002 por receio de que o episódio se repetisse, o Fenômeno disse que não se importa com quem o criticava pelo sobrepeso:

- Existem mobilizações para muitas coisas. Se você é negro, se é gay... Não me lembro de ninguém que me defendia quando me chamavam de gordo. Não me importo - disse, de acordo com o jornal inglês.


Capello, sobre Ronaldo Fenômeno: “Era gordo, mas foi um dos melhores que treinei”
O ex-jogador também deu outras declarações sobre a vida fora de campo. Pai de quatro filhos, o mais velho de 19 anos e a caçula de nove, Ronaldo disse que fez vasectomia, mas que, se quiser ter mais herdeiros, isso não é um obstáculo.

- Congelei esperma suficiente para ter uma equipe de futebol se a minha mulher quiser - disse.


Questionado se não teria aproveitado todo seu potencial por "gostar de festas", o craque explicou como agia.

- Minha prioridade sempre foi o futebol, então, não me arrependo do que fiz. Os jogadores de futebol são jovens. Eles querem sair, namorar. Coisas normais para os jovens, especialmente quando você tem dinheiro - disse.

Na entrevista, Ronaldo chegou a usar Messi para uma comparação, quando foi perguntado sobre o problema que teve na final da Copa de 1998.

- Não foi o meu melhor jogo naquele dia, mas lutei e corri. Tem dias em que não se sente bem. Em outros, é o oposto. Difícil de explicar. Vejam Messi no Barcelona e Messi na Argentina. É um jogador completamente diferente. Não é fácil jogar um grande torneio pela sua seleção. Ali jogam os melhores do mundo - afirmou.